15.6.08

Não estava a imaginar o MEP a vender aventais

Cheguei à página oficial do Movimento Esperança Portugal via Adufe. Sigo com alguma curiosidade a evolução dos movimentos que visam constituir novos partidos políticos, a partir de protagonismos, às vezes inesperados como o do Eduardo Correia do MMS, às vezes mais óbvios como acontece com o MEP e o Rui Marques. Percebe-se que há nessas movimentações a vontade de ocupar um espaço que se sente vazio. É certo que não há nenhum caso de um partido formado com sucesso depois do PREC. O PRD foi um balão que se esvaziou tristemente e o BE só à superfície é que é um partido novo, já que é um partido criado por partidos. Pode bem acontecer que de tudo isto resulte algo. Não sei, embora não me pareça fácil que estes movimentos furem a barreira de silêncio da comunicação social. A esse assunto hei-de voltar mais tarde. Para já fica o registo de como a página do MEP me surpreendeu triplamente: tem merchandising (e concordo com eles, os outros partidos também deviam ter); a loja online fala connosco em inglês (é a uniformização da globalização a impor-se); o primeiro artigo do catálogo de vendas é um avental. Confesso que não estava a imaginar o Rui Marques a fazer política de avental. O avental do MEP, pelo menos, é distinto, não é como aqueles que o PS e o PSD costumavam dar às peixeiras nos mercados. Como a côr em política não é neutra, será que expressa pessimismo, submissão aos ditames de mercado ou sinal diferenciador?

5 comentários:

MFerrer disse...

SSó para informar que apesar da comunicação social portuguesa nada dizer, o Tratado de Lisboa foi ontem solenemente ratificado pela Inglaterra. Por acaso o mais populoso país da UE e a mais velha democracia representativa...
Lá vão ter de adiar o velória e guardar as coroas funerárias...
M;Ferrer
http://homem-ao-mar.blogspot.comorry,mas isto parece importante:

Anónimo disse...

Vais levar com os "checos" em cima...volta a pôr as coroas funerárias no sitio...

polvorosa disse...

Estes Movimentos querem ocupar o espaço entre o PS e o PSD, mas será que há aí muito espaço? O Governo do Eng.º Sócrates tem vindo a descair para a direita abrindo uma clareira à esquerda, espaço este ambicionado por ocupistas alegres, mas que tardam em avançar em concreto, estando a preparar uma candidatura de Alegre às próximas eleições presidenciais numa plataforma envolvendo grande parte da esquerda portuguesa.
OS M.E.P.´s e M.M.S.'s vão tentar entrar num espaço que tende a mudar consoante as realidades económicas e sociais do país, num cenário difícil e numa corrida onde não há assim tantas diferenças entre os candidatos as pessoas tendem a ir atrás das novidades.
Será que vamos ter um governo feito com acordos com pequenos partidos? Ainda é cedo para ilações, este ano e no próximo haverá um agravamento na qualidade de vida dos portugueses, aí vamos ver como as pessoas tendem a "comprar" os últimos modelos, tal como adquiriram em massa o iphone.

http://polvorosa.blogs.sapo.pt/9985.html

Anónimo disse...

Que bom vermos o verde do MEP a aparecer no meio de tão negro cenário e de gente tão aborrecida.
Haja Esperança e outras vozes. Força MEP. Contem com o meu voto.

A Besta disse...

"O PRD foi um balão que se esvaziou tristemente e o BE só à superfície é que é um partido novo, já que é um partido criado por partidos."
Se calhar, digo eu que sou uma Besta, é por isso mesmo que se chama Bloco de Esquerda, não acham???