30.1.09

Pacheco Pereira merece bengaladas

Pacheco Pereira faz parte do leque de pessoas que se santifica a si mesmo e acha todos os outros capazes de todas as vilanias. Junta a esse pessimismo antropológico um grande desinteresse pela verdade material e uma visão conspirativa do mundo. A combinação dessas atitudes faz dele um guionista de telenovela, num mundo amoral. Não hesita em associar-se a difamações, a acusar sem provas, a julgar sem contraditório e em transformar as suas opiniões, mesmo as mais disparatadas, em verdades absolutas. Se as vítimas dessa sua maneira de ver o mundo não fossem pessoas a coisa não seria grave. Mas são e ele tem a fria consciência dos ditadores, conhece o poder destrutivo da sua influência e usa-o. Depois de tudo o que já li, escrito por si sobre mim, desejo-lhe apenas que nunca passe pelo que tive que passar. Aprenderia muito sobre a condição humana. Mas ele não conhece o sofrimento humano nem sequer a diferença entre a verdade e a mentira. Num mundo de gente de honra, coisas como as que escreve aqui merecem um processo por difamação ou bengaladas. Como a justiça portuguesa acha os opinion-makers irresponsáveis não terá processo, como não uso bengala fica este testemunho: Pacheco Pereira mente descaradamente sobre cabalas e contra-cabalas e fala de mim como um reles porta-voz dos difamadores, deliberadamente emprestando o seu nome e credibilidade a uma série monstruosa de falsidades.

14 comentários:

Anónimo disse...

Ainda ontem, na quadratura do circulo, ele foi execrável. A psiquiatria não poderá resolver o seu problema?!

Jose Nunes disse...

Pacheco Pereira perdeu toda a vergonha.Há quem diga que afinal continua a ser um estalinista inveterado.Nojo.

Joana Lopes disse...

Não sei se leu isto antes de escrever o seu post:

http://abrupto.blogspot.com/2009/01/as-novidades-campanhas-negras-e-poderes.html

A minha solidariedade.

Luis Melo disse...

Caro Paulo Pedroso, faça um favor a si próprio, e não imite o Primeiro-Ministro... na vitimização.

Se acha que JPP é assim tão "mau" quanto diz, porque lhe dá importência? Deixa andar. Faça de conta. Não ligue.

E, por mais "bojardas" que diga pela boca fora, ninguém merece bengaladas. Isso é incitar á violência? Parece, e não fica bem.

Anónimo disse...

Ao contrário do que pretendem fazer crer, é pura cobardia - da mais rastejante - a livre expressão de quem se sabe a coberto duma quase irresponsabilidade, com livre trânsito para todo o tipo de dislates. Infelizmente, não só são tolerados como ainda são tratados com a deferência de suspostas eminências pardas... Pura canalha! Às pessoas moralmente sâs e intelectualmente honestas resta fazer como Paulo Pedroso: resistir e denunciar (pondo a descoberto, com evidência lapidar) a matéria de que são feitos esses personágeis. G.

Anónimo disse...

Olá Paulo,
eu tenderia a seguir a linha do comentador Luís Melo, que não sei quem é mas que me parece ter uma postura avisada. Não ligues, a condição humana tem muitas nuances, mas basta conhecer algumas para inferir o resto das matizes e estabelecer alguns perfis. O JPP está do lado dos que se crêem intocáveis, impolutos e acima de qualquer suspeita. Ainda não aprendeu que nem tudo está escrito nas estrelas.
CristinaGS

Ana Matos Pires disse...

Sem comentários.
Um abraço solidário.

Anónimo disse...

Foi por revolta com o que lhe fizeram e ao Dr. Ferro Rodrigues que eu aderi ao PS.
A minha solidariedade.
Em relação ao PP, é pena que utilize a sua inteligência para ataques idiotas.

Anónimo disse...

Pacheco Pereira, viu no caso Freeport o abono de família do nado-político que ptotectorou. E então agarra-se ao caso como um naufrago à tábua, mas nem assim vai dar a bom porto, pois o povo é sereno e sabe que é só fumaça.

Anónimo disse...

Sr Paulo Pedroso,
A forma como você acabou de definir o JPP, não acaba por ser a definição integral de qualquer político que se preze?

Ele mente? Acusa sem provas? Diz barbaridades? E depois?
Conhece algum político que faça ou saiba fazer outra coisa senão isso?

Não precisa de me responder porque a sua resposta, à semelhança de todos os outros actuais políticos portugueses, já é inteiramente previsível...

Carlos Santos disse...

Caro Paulo Pedroso,

Permita-me que sugira Mário Zambujal em resposta a Pacheco Pereira:
http://ovalordasideias.blogspot.com/2009/01/o-guarda-chuva-com-ramagens.html

Anónimo disse...

Meu caro Paulo,
Não preciso de lhe demonstrar a solidariedade que v. sabe ser toda.
mas apenas necessito de juntar um comentário para o apoiar no "retrato dos julgadores sem mácula" e opinadores pesporrentos que são uma e a mesma raça(sobretudo no caso concreto) e que tanto já contribuiram para a nopjeira dos julgamentos sumários cancro tenaz e pestilento que mina a vivência humana e as regras duma sociedade democrática.Decencia precisa-se.Abraço.JVJ

Sofia Loureiro dos Santos disse...

A minha solidariedade. Pacheco Pereira cegou.

mdsol disse...

O que mais me aborrece é a desonestidade intelectual de quem tem ainda mais obrigação de ser honesto.
E o ar sobranceiro de quem se acha acima do comum das pessoas que, taditas, não enxergam nada...
Quem sou eu para sugerir seja o que for... Mas, possivelmente, o que querem (tal como a outra) é que falem deles!
:))