18.12.08

Assim não, cara Câmara Corporativa

Miguel Abrantes foi desenterrar um anúncio do BPP em que se usa um texto literário do escritor Manuel Alegre. Aliás, um diálogo interessante do caçador de esquerda com o Dinheiro. Frequentemente não concordo com Manuel Alegre e ainda mais vezes gosto do que escreve Miguel Abrantes sobre o PS, mas não posso aceitar que se use esse texto para diminuir a crítica de Manuel Alegre à intervenção no BPP. Francamente, preferiria que a esquerda, dentro e fora do PS, discutisse estas questões fora dos ataques de carácter. Pense-se o que se pensar sobre o texto e sobre o anúncio, nada num texto literário pode diminuir o direito a fazer crítica política, senão a realidade começa a ficar pior que a ficção.

1 comentário:

K disse...

Mas porque não confrontar o poeta com as suas proprias incongruências?

Alegre pode dizer as maiores irresponsabilidades que parece protegido pela bolha do esquerdismo bem pensante.Não justifica nada, não quer saber de nada, nem quer ir para o Governo, não quer nada, só chicana politica.

Vive zangado e então quer fazer com que o PS siga a cartilha do BE, sendo que o PS devia como partido mais votado negociar com o Louçã nos termos em que este quer, de corda ao pescoço.

Já agora porque não investiga os sindicatos de voto que Alegre diz existirem no PS ou é conivente com eles?