25.2.09

De novo a silly season, agora a PSP de Braga

Portugal transformou-se num país em que basta uma denúncia para haver crime. Depois da senhora magistrada do MP de Torres Vedras não ter percorrido 200 metros para investigar se a fotografia desfocada do Magalhães carnavalesco tinha conteúdo ofensivo, a PSP de Braga não hesitou em apreender livros que "diz que" têm uma capa pornográfica, que por acaso é de uma obra de arte. Em Portugal, quem devia investigar recuperou o velho hábito de ter certezas antes de ter dúvidas e em democracia devia ser ao contrário. Agora que acabou o Carnaval, vale a pena reflectir sobre as causas destes tiques.

4 comentários:

Carlos Santos disse...

Desculpe fugir ao tema. Mas convido a ler, porque Obama produziu mais uma impecável peça hoje no Capitólio:

http://ovalordasideias.blogspot.com/2009/02/discurso-do-estado-da-ncao-de-obama-o.html

Um abraço,
CS

a. souto disse...

E o problema é que estes tiques causam mossa a alguém ou a alguma entidade, menos a quem os tem, que passado o carnaval olvidam-se os autores...

Anónimo disse...

Se, em vez de andar a passear em twitters e quejandos, ajudasse a legislar no sentido da efectiva responsabilização de magistrados incompetentes talvez fosse mais útil ao país... Como diria o RAP, "falam, falam, eu não os vejo a fazer nada!"
Cumprimentos.

Manuel Brás disse...

À lei da bofetada,
o povo não resolve os problemas,
a nudez é retratada
desmascarando os nossos dilemas.

O abuso de autoridade
contra uma obra de arte,
viola um direito de liberdade
aqui e em qualquer parte!

A eficácia da polícia
é deveras impressionante!!!
Este caso cheio de malícia
deixa o mexilhão sem semblante!