5.6.09

Humberto Daniel: polemizando viveu, polemizando morreu

Foto: Setúbal dos seus sonhos
Esta noite, Humberto Daniel morreu como tinha vivido, polemizando num debate público. Socialista, sindicalista, autarca, Humberto pertencia ao tipo de cidadãos que respiram intervenção política e que à causa pública dedicavam o melhor das suas energias.
Somos da mesma geração, conhecemo-nos há décadas, desde que militámos ambos na JS e, gostando-se ou não das ideias que foi defendendo ao longo da sua vida, há uma coisa que todos lhe reconhecerão: a paixão que dedicava às coisas em que se empenhava.
Talvez ele não se reconhecesse nesta designação, mas há muito que via nele um dos cidadãos inspirados nas raízes da tradição anarco-sindicalista, uma das fontes em que bebem alguns dos mais generosos activistas portugueses do socialismo democrático de hoje.
Dos cargos públicos que desempenhou, o de Presidente da Junta de Freguesia de São Sebastião, em Setúba foi aquele em que provavelmente mais se destacou. E como ele valorizou essa função e com que dedicação a desempenhou.
A sua freguesia era uma das mais carenciadas da cidade de Setúbal. No lançamento do Rendimento Mínimo Garantido foi, talvez, o Presidente de Junta que mais se empenhou em dinamizar numa óptica de cidadania e inserção social a medida. Andou no terreno, ao lado de assistentes sociais, abriu as portas da Junta ao funcionamento da Comissão Local de Acompanhamento, empenhou-se em garantir o regresso à escola dos filhos de beneficiários que as haviam abandonado.
Do meu contacto com ele, foi nessa experiência que melhor o vi aplicar as suas energias construtivas de político, embora o próprio talvez preferisse que recordassemos a violência com que conseguia aplicar as suas energias críticas. Algumas vezes eu próprio o senti, nas nossas discordâncias, mas isso sempre foi completamente lateral na nossa relação.
Esta semana, enquanto decorria o comício de Vital Moreira em Setúbal, conversámos à porta sobre o quotidiano e ele contou como estava feliz com o novo começo na sua vida que representava estar de novo à espera de ser pai. Já não vai poder viver este novo sonho. Eu já sabia que as leis da vida são indiferentes à justiça. Mas, essa verdade racional não deixa de ferir cada vez que somos confrontados com ela desta dura forma.

3 comentários:

Anónimo disse...

só soube agora, sentimentos à esposa e família. era um bom amigo.

ricardo pina

Anónimo disse...

Só hoje é que tive conhecimento da morte do Humberto Daniel. Era um bom amigo. Sentidas condolências à sua esposa e restante família.

Francisco disse...

A familia de Humberto Daniel, agradece sensibilizada todas as manifestações de solidariedade, apreço e carinho que têm sido demonstradas.
Bem Hajam.