11.8.09

Um desafio aos que não acreditam com facilidade que a CDU não tem política social em Almada

Estamos, na minha candidatura à autarquia de Almada, a percorrer o concelho de uma ponta à outra, fazendo sessões ao ar livre, aproveitando o Verão, para que todos, de todas as orientações políticas e em todos os pontos do concelho possa, querendo, ouvir o que temos a dizer. Não se trata de uma campanha fechada em salas de reuniões e a militantes e convertidos, nem de uma campanha que vá exclusivamente aos locais tradicionais. No domingo estivemos num bairro ilegal, onde habitam pessoas que têm direitos fundamentais que devem ser respeitados, como quaisquer outros cidadãos: o 2º bairro do Torrão, na Trafaria. Ali há pessoas que vivem em condições infrahumanas, sem electricidade na maior parte das noites de Inverno, sem àgua canalizada, sem saneamento básico, sem recolha de lixo adequada. São pessoas de várias etnias e nacionalidades que têm a esperança de ver reconhecido um dia o direito humano a uma habitação condignae a que os seus filhos cresçam num ambiente cuidado e saudável. Mas têm pouca esperança porque sabem que, mesmo ao lado deles, no Bairro do Torrão, há 30 famílias que esperam há 10 anos por um realojamento prometido pela Câmara de Almada, que aliás já recebeu há uma década o dinheiro para o fazer: o Porto de Lisboa deu à Câmara 800 mil euros para realojar essas famílias e a Câmara nem os usou para esse fim nem os devolveu para que outros o pudessem fazer. Os habitantes do 2º bairro do Torrão sabem também que houve há mais de um ano, na Junta da Freguesia da Trafaria, uma reunião entre a Presidente, um Administrador da EDP e um vereador da CDU, segundo a qual a EDP perdoava a dívida passada e reforçava a potência na zona se a Câmara realizasse um levantamento dos utilizadores de electricidade no bairro e que a Câmara nunca fez tal levantamento, com isso condenando os moradores a Invernos ainda mais difíceis. Tal como sabem que houve, embora noutra freguesia do concelho, famílias que ficaram recentemente alguns dias ao relento, depois de terem sido despejadas, porque a Câmara dizia não ter onde os realojar e passou, de um momento para o outro, a ter, assim que as televisões começaram a noticiar o assunto. Ou ainda, que a Câmara não quer saber da Rede Social, não se empenha nos programas de luta contra a pobreza ou, por exemplo, não cooperou na obtenção de ocupações de carácter social para desempregados, ao contrário de muitas outras de vários partidos, incluindo a de Lisboa. Ou sabem ainda que em Almada metade dos bairros ilegais continuam por reconverter e muitos deles assim estão há 30 anos, não tendo ainda hoje saneamento básico. Eles sabem, e eu disse-o claramente, que a CDU, na Câmara de Almada não tem política social. Haverá quem se surpreenda, dada a imagem que esta força política tem. É o que aconteceu com José Carlos Mendes, certamente um bom comunista, que acha que uma pessoa em seu pleno juízo não poderia afirmar tal. Compreendo bem a sua dificuldade de lidar com a crueza dos factos. Mas, se quiser, convido-o - e a todos os que sentirem a mesma dificuldade em aceitar que assim é - para virem dar uma volta pelo concelho comigo. Basta terem três horas livres e verão como é fácil mostrar-lhes mais falta de política social do que alguma vez imaginaram que fosse possível, até numa câmara de direita.

3 comentários:

Aníbal teixeira disse...

Boa noite dr Paulo Pedroso, antes de tudo quero manifestar uma vez mais a minha admiração pelo seu trabalho de recolha, fazendo-o pessoalmente a todos os locais do Concelho com sol ou chuva, com frio ou vento, fala aos Municípes a verdade é dura de ouvir mas a mentira é mais dolorosa.
Em boa hora aceitou candidatar-se a Presidente hà Câmara de Almada, o Concelho e os seus habitantes já ganharam , 35 anos depois Almada começa a ter consciência de como andavam mal informados os seus habitantes.
Ninguem no seu perfeito juizo deve ficar incomodado ou levar a mal de alguém de boa fé denunciar o que na sua opinião acha que está mal no concelho
Alguem que Pretende dirigir e não se conforma com essas situações de injustiça sabendo que sendo Presidente da CMA sabe corrigir o que considera estar errado mas não rasga nem destrói o que considera estar correto
.As pessoas inteligentes altamente competentes sabem distinguir e separar bem as coisas.

Muitos Almadenses já começam a acreditar que só o PS pode devolver a Almada 35 anos perdidos, por isso todos os dias figuras com influencia no concelho e cidadãos comuns se dirigem a mim e a outros membros do PS que querem juntar-se ao Ps porque acreditam no Candidato , reconhecendo incondicionalmente as suas qualidades de homem de Estado com Provas dadas.
É uma mais valia e segurança para o Povo de Almada .
O trabalho desenvolvido na Trafaria e noutros locais onde existem desigualdades que no século 21 em plena integração Europeia Portugal já devia ter acabado com todos esses fenómenos, na maioria dos concelhos de orientação CDU ou não isso já foi conseguido. Almada não porquê?na minha modesta opinião é que nunca houve uma verdadeira politica de habitação social quem me conhece sabe que estou dentro do assunto .
Há muito trabalho para fazer, muita armadilha e minas para desmontar , por isso toda a familia do PS deve mobilizar-se e motivar-se para ajudar a ganhar Almada.
O candidato e os Almadenses contam com todo o seu apoio.
Vote PS para as Legislativas e para as Autárquicas em Almada a 27 de Setembro e 11 de Outubro Respectivamente.
Anibal Teixeira

ALMADA

GMaciel disse...

Depois de ler o comentário do sr. Teixeira, resta-me dizer que o subscrevo na íntegra.

Sente-se o pulsar de uma nova Era. Conheço pessoas que nunca votaram PS que estão literalmente encantadas com o Dr. Paulo Pedroso e com a sua postura. Almada merece, o candidato também.

Abraço e força!

Cláudio Anaia disse...

Sou amigo do Paulo Pedroso ainda ele era um anônimo, por isso há muito tempo.

Tivemos boas conversas sobre o "bem público" e em boa hora foi governante de Portugal.

Ao assumir esta candidatura a presidente da Câmara Municipal de Almada é bem a prova da sua postura de estar ao serviço público.

Força Paulo , estou contigo !