26.9.12

Ir além da troika, renegociar o Memorando de Entendimento ou denunciá-lo? #2 - A pergunta do Rui Branco


A consulta aos leitores do Banco continua no canto superior direito da página do blogue. As três opções bifurcam as alternativas para o país, acho eu. O Rui Branco, no twitter, lembra as consequências de uma das respostas e pergunta se vamos nessa:








Eu não vou por aí. Não é só pelo crédito, embora não seja coisa nada pouca. É essencialmente porque denunciar o Memorando de Entendimento nos conduziria provavelmente à porta de saída do Euro e acho ilusório o sonho de prosperidade portuguesa baseada na autarcia. A propósito, com moeda própria, a desvalorização salarial - o tal ajustamento interno - já teria sido feita sem subterfúgios e de modo muito mais violento juntando ainda aos nossos problemas o risco de hiperinflação induzido pela desvalorização cambial.

1 comentário:

O faroleiro disse...

Precisamente. A questão é portanto saber o que é uma "austeridade moderada". Como nenhum primeiro-ministro seja ele Sòcrates ou Passos Coelho ou outro qualquer é masoquista, duvido que a actual austeridade não seja realmente a "austeridade moderada" possível. E tenho dúvidas se é a austeridade moderada suficiente para pôr o país de novo no caminho da sustentabilidade das contas públicas e do equilíbrio do comércio externo.